economia de Portugal

A economia de Portugal cresceu 1,4% em 2016

O Instituto Nacional de Estatística tornou oficial que a economia de Portugal cresceu no ano passado 1,4%.  Um décimo mais do que o esperado pelo governo português. Contudo, este foi um menor crescimento que o ocorrido em 2015. A figura vem acompanhada de outras cifras positivas, como a redução do défice até o 2,3%. Assim como, a redução do desemprego para níveis que chegam ao 10%. Como resultado desta melhoria, Portugal sairá da lista de países europeus sob regime excessivo. Dato anunciado pelo Comissário dos Assuntos Económicos, Pierre Moscovici.  Este na segunda-feira também comentou que a economia de Portugal teve uma “grande melhora” neste ano.

Os bons dados macroeconómicos salvaram ao seu protagonista, o ministro das Finanças Mário Centeno. Dado às promessas que não deveria ter prometido, e negando tê-las feito. A saga começou no passado mês de Abril, quando o mesmo escolheu o António Domingues, director do Banco BPI, para liderar a Caixa Geral de Depósitos. Domingues exigiu as mesmas regras impostas no sector privado nos salários. Incluindo a declaração do Património ao Tribunal Constitucional. O ministro concordou, embora ele negou no Parlamento, e já têm sido publicados mails trocados entre eles, deixando-o exposto.

Acusado de mentir, a oposição tem solicitado a sua renúncia, e esquerda (PC e Bloco de Esquerda) não tem comentado nada neste momento para não prejudicar o seu parceiro socialista no governo. Pendurado por um fio, o ministro foi salvo à meia-noite pelo presidente do país, Marcelo Rebelo de Sousa, que emitiu uma declaração afirmando que o ministro continuará no cargo “em resposta ao interesse nacional, em termos de estabilidade financeira.”