relatório da OCDE

Segundo o relatório da OCDE a vulnerabilidade de Portugal aumentará nos próximos anos

O Secretário-Geral da OCDE, Angel Gurria, apresentou em Lisboa o relatório da OCDE sobre a situação económica do país. Com os dados de novembro, a organização prevê um crescimento nos próximos anos, em torno de um 1,3%, pouco mais baixo do que o ano passado, e o desemprego em torno de um 10%.

A apresentação do relatório da OCDE foi realizada na presença de Ministro português das Finanças, Mário Centeno, que criticou a esta organização e outras internacionais pelos seus falhos nas previsões. Centeno disse que o déficit do país em 2016 ficará por baixo dos 2,3%, a menor percentagem da história. Para a oposição, no entanto, este défice foi alcançado porque não se realizou o 30% do investimento público prometido, dado que também denunciou o Conselho das Finanças Públicas do governo, e pelo plano de dezembro para regularização fiscal dos morosos.

Com Centeno pela frente, Gurria elogiou as políticas económicas do governo socialista e social-democrata anterior. Assim como, pediu mais reformas estruturais para impulsionar o crescimento. Pois, Portugal vai continuar a crescer, mas por baixo dos países vizinhos. Não se prevê que o crescimento do PIB exceda o 1,5%, o mesmo que este ano, de acordo com o Governo. Para a OCDE, será de 1,3%. Relativamente à falta de reformas estruturais, a organização atribuiu que o investimento será menor do que os países vizinhos. Este irá cair 5,3 pontos nos últimos cinco anos e agora é 30% menor do que em 2005.

OCDE critica o aumento do salário mínimo, que em quatro anos passará de 485 euros para 600, o que, na sua opinião, não incentiva a criação de emprego. O desemprego atualmente está em 10,2% e irá continuar nessa barreira até 2019. “Os obstáculos estruturais impedem o crescimento e aumentam a vulnerabilidade do país”, diz o relatório. As maiores fraquezas do país são o sistema bancário e o endividamento. A dívida está perto dos 130% e diminui-la perante o aumento dos juros (4,2%) que está a pagar Portugal para vender papel do Estado.

 

O sistema bancário precisará de mais dinheiro para cobrir os seus buracos, e a elevada dívida são as suas maiores fraquezas

 

O sistema bancário continua com níveis muito elevados de créditos em dívida, apesar de toda a ajuda pública dada ao setor na última década. Entre 2008 e 2016, o Estado gastou no sistema bancário 14.000 milhões de euros. Se o número absoluto não assusta, a comparada com o PIB do país, corresponde ao 6,8%. Enquanto que, por exemplo, a ajuda pública aos bancos espanhóis foi de 4,1%. E, como o relatório da OCDE diz, não parece ter acabado aqui. Novo Banco e Caixa Geral de Depósitos vão precisar de recapitalização este ano à custa de uma redução significativa nos seus escritórios. Como lembra a OCDE, Portugal tem quase o dobro de filiais que os países vizinhos.

O relatório da OCDE não traz surpresas nem cai em contradições com o anterior. Por isso elogia o trabalho da troika (2011-2014) e confirma que a redução do IVA na restauração (de 21% para 13%) não foi uma boa ideia, porque não tem criado emprego no sector.

Também insiste no peso da Função Pública, que continua a aumentar a sua massa salarial. No ano passado, o Governo acabou com os seus cortes, aumentou os feriados, diminuiu horários e da OCDE lembra que tem um excesso de funcionários na Educação (porque há menos crianças) e, especialmente, na polícia, com um terço dos membros mais que a média da UE.

Os funcionários públicos são os mais favorecidos por um regime de pensões insustentáveis para os futuros pensionistas, de acordo com a OCDE. Assim sendo, esta exige um fim à superproteção de contratos permanentes e a infra-proteção do emprego jovem. Desde 2009, a situação económica dos jovens agravou-se três pontos e a dos pensionistas melhorou seis pontos.

Poupar graças aos códigos de desconto de MasCupon

Talvez podem não saber, mas aqui em UCB Portugal gostamos de viajar ao redor do mundo da maneira mais barata possível. É por isso que hoje quero apresentar a MasCupon, um site de códigos de desconto que nos permite comprar online de forma barata sem deixar de lado nossos gostos.

O MasCupon é uma start-up valenciana, dedicada a oferecer aos seus usuários cupões e ofertas do mercado português e oferecendo assim descontos de até 90% em lojas de todo tipo.

As suas ofertas incluem descontos nas principais agências de viagens, companhias aéreas e hotéis que permitem reservas online como eDreams, EasyJet ou LetsBonus entre outros. Graças a estes códigos de desconto e ofertas, você pode viajar barato de uma maneira muito simples.

MasCupon oferece códigos de desconto gratuitos para o usuário, ajudando-os através da Internet a poupar dinheiro nas lojas online que vendem em Portugal e noutras partes do mundo.

Mesmo ocasionalmente, você encontrará alguma loja inglesa ou americana, uma vez que a MasCupon não quer que os seus usuários percam a oportunidade de obter o produto que estão à procura ao melhor preço.

Além disso, a equipa do MasCupon está a trabalhar continuamente para fornecer desconto que facilitam os usuários poupar nos seus produtos favoritos através da sua Newsletter. Todos esses recursos estão disponíveis se você se registar gratuitamente na sua área de usuários.

O seu funcionamento é muito simples. Se você escolher uma oferta, clicar no link irá directamente para a parte da web esta está. Se você escolher um código de desconto, eles lhe darão um código alfanumérico, que você deve colar na loja no momento do pagamento, dessa forma tão simples você verá como o preço final diminuirá.

Além disso, o MasCupon está presente em outros países, como Estados Unidos ou México, então, se você estiver a ler fora de Portugal, não se preocupe, também tem a oportunidade de comprar barato.

Finalmente, a MasCupon possui uma revista, MasMagazine, na qual você encontrará dicas e conselhos para poder poupar usando os seus cupões e ofertas. Não os perca!

Certo! Os portugues gastam o seu dinheiro em vinho

“É o maior consumidor de vinhos do mundo, com 54 litros por pessoa por ano”

Os dados recém-publicado pela Organização Internacional da Vinha e do Vinho confirmam o que já imaginávamos: os portugueses gastam-se o dinheiro em vinho.

Os portugueses são os maiores consumidores do mundo, com 54 litros por pessoa por ano. Mais do dobro que os compatriotas holandeses: 24,5 litros, apenas um menos que os espanhóis.

O consumo de vinho em Portugal é inigualável em qualquer outro país, segundo o ranking. A França, bebe quase três litros a menos por cabeça (51,8) e a distância abismal da Itália, o terceiro, com 41,5 litros por pessoa, e a Suécia com 41 litros. Curiosamente, como se vê, não há nenhuma clivagem radical entre o Norte e o Sul, Leste ou oeste. A China foi o país que aumentou o seu consumo no ano passado (6,9%), seguida por Itália e Reino Unidos. Longe de clichés e preconceitos, o factor determinante é se um país tem ou não videiras no seu território.

Mas parece que a Holanda teve mais motivos para brindar ao longo do tempo, pois há 20 anos consumia apenas 17 litros por pessoa por ano e na actualidade 24,5. Enquanto o consumo entre portugueses e espanhóis diminuiu neste tempo: 68 e 46 litros, respectivamente, significativamente menos do que o consumo actual.

Nos últimos anos, tem aumentado a qualidade dos vinhos e o desempenho português na sua exportação. Compete em qualidade, já que em quantidade não pode. É o décimo primeiro no mundo em produção, mas o nono na venda de vinhos no exterior. O preço médio de venda é o dobro da Espanha, exportador, uma vez que este país vende muito mais e, portanto, a preços baixos.

Os Portos, vinho da Madeira, vinho verde e Douro são as suas marcas. Em 2014, a Wine Spectator escolheu como melhor vinho do mundo a um Porto, Vintage da Dow 2011, das vinhas da família Symington. O terceiro também foi português, mas do Douro, um Chryseia 2011. Com estas tentações assim, quem não cair em vícios.

Descubra o que não vestir na passagem de ano

 

Siga esses conselhos para evitar os erros na noite mais especial do ano. Descubra o que não por na passagem de ano para não passar vergonha.

Descubra o que não por na passagem de ano

Jeans

A peça mais confortável do mundo, sem dúvida, são os as calças de ganga. Mas para a última noite do ano não é uma boa opção, é melhor  para um lanche com os amigos, um dia de compras ou para uma ida ao cinema.

Penas

É verdade que as penas trazem muita elegância ao outfit, mas se vai a uma festa de passagem de ano não é uma boa ideia. Essas peças necessitam muito cuidado e danificam-se em questão de minutos e, em seguida, é muito difícil para remover manchas para reutilização.

Botas de cano alto

É óptimo usar botas de cano alto em uma tarde fria para cobrir boa parte da perna, mas não pense em usar na passagem do ano. É mais recomendável um bonito e alegante salto alto, como um scarpin por exemplo.

Malas grandes

O ideal é uma uma mala mala de mão com uma cor vibrante, como o amarelo que esta super na moda. Além disso, se você levar um saco de mão-lo a evitará a tentação de levar sabrinas para usar quando a dor atacar seus pés.

Acessórios grandes na cabeça

Você não está indo para o casamento do ano, deixando os acessórios grandes para cabeça para outra ocasião. A última noite do ano prefira usar detalhes discretos.

Acessórios em exagero

Tenha cuidado para não ser confundida com a própria árvore de Natal. Não aproveite a data para por todas as suas jóias ao mesmo tempo. Já sabe, discreta mas elegante.

Dicas de cozinha em acampamentos

Quando bem feito, poucas refeições sabem melhor ou satisfazem mais do que aquelas cozinhadas no acampamento. Algo sobre cozinhar à moda antiga faz toda a experiência – desde a preparação de alimentos até  saborear a sua última mordida – especial. Uma verdadeira desvantagem, no entanto, é que cozinhar no acampamento exige mais tempo, paciência e engenho do que cozinhar cozinha. Use os ponteiros abaixo para que cozinhar no exterior seja menos assustador, e mais divertido.

Suprimentos para cozinhar

Independentemente do que você planeie especificamente para cozinhar na sua próxima viagem de acampamento, há alguns grampos de preparação de alimentos que você não deve esquecer. Primeiro e acima de tudo é uma caixa de fósforos e algum líquido mais leve. A maioria prefere cozinhar sobre um fogo aberto, então você estaria  problemas se não tiver uma maneira de começar um. Quanto aos pratos, as necessidades verdadeiras são um potenciómetro médio a grande leve, uma bandeja do tamanho similar, folha de alumínio, e uma grade portátil que possa ser colocada sobre fogo. Esta combinação de equipamento de cozinha pode ser usada para preparar qualquer coisa, desde bacon e ovos até feijão e macarrão. Por último, não se esqueça da sua espátula, puxar comida de um fogo desnudado está longe de ser agradável.

Métodos de cozimento

Ao longo dos séculos, aventureiros descobriram uma série de maneiras de cozinhar refeições usando uma fogueira. Claro, alguns são mais complicados do que outros. Na maioria das viagens de acampamento, por exemplo, provavelmente não vai fazer um espeto para assar. Leia sobre como nós detalhamos algumas das técnicas de cozimento de acampamento mais simples e mais eficazes.

A forma mais básica de cozinhar na fogueira é usar o calor direito. Existem essencialmente duas maneiras de fazer isso. O primeiro, um truque de escuteiros velhos, é envolver itens alimentares individualmente em papel alumínio e colocá-los nas brasas. Exige verificação frequente, mas é muito eficaz para os alimentos que exigem o calor elevado. O segundo, método é simplesmente colocar uma grelha sobre um fogo aberto e grelhar os seus alimentos como você faria no quintal. O calor dessa fonte é menos directo, então provavelmente demorará um pouco mais para cozinhar.

Para sopas, guisados e massas, você precisará dos potes e panelas acima mencionados na lista de suprimentos. Para cozinhá-los, basta construir o fogo, deixá-lo morrer até ter carvões quentes, e coloque o pote ou panela acima deles. Gerindo a quantidade de carvão quente e concentração é a chave para esta técnica, como o calor pode tornar-se inconsistente muito rapidamente. A boa notícia é que cozinhar em acampamento é quase tão fácil como usar um fogão de cozinha.

Mais algumas dicas:

  • Medir os ingredientes para cada refeição antes do tempo e embalar em sacos ziplock. Rotule cada saco adequadamente.
  • Prepare sopas, ensopados ou chili antes do tempo. Congelar e manter no refrigerador. Reaquecimento para uma refeição rápida.
  • Não se esqueça da folha de alumínio resistente. Há muitos usos para esta no acampamento.
  • Tenha muito cuidado com as latas de gás. Mantenha-as em posição vertical o tempo todo. Manter fora numa área bem ventilada. Verifique se há vazamento colocando líquido de sabão em todas as conexões. Desligue quando não estiver a usar.
  • Congelar a carne antes de colocar no refrigerador. Mantém outros alimentos frios e vai manter mais tempo.
  • Cubra os potes sempre que cozinhar ao ar livre. Alimentos será feito mais rápido e você vai poupar em combustível. Também ajuda a manter a sujeira e insectos fora de seu alimento.
  • Para facilidade de limpeza e para proteger de fumaça e danos de fogo, coloque sabão líquido fora dos seus potes e panelas antes de colocar sobre o fogo.
  • Bloco de gelo vai durar mais do que gelo em cubos.
  • Todos os itens no seu refrigerador devem ser embalados em sacos ou recipientes estanques.
  • Para evitar visitas indesejadas de animais, mantenha os alimentos armazenados ou pendure acima do nível do solo.
  • Aplique óleo na churrasqueira para evitar que os alimentos fiquem grudados.
  • Latas de suco congelado manter outros alimentos frios.
  • Use comodidade ou alimentos instantâneos para refeições rápidas.
  • Use equipamentos de cozinha à prova de fogo. Mantenha as alças longe do calor extremo e chamas.
  • Para manter fósforos fósforos de vara de imersão seca em cera e quando necessário, raspar a ponta da partida e luz. Mantenha também fósforos em um recipiente impermeável.
  • Use sacos ziplock para armazenar alimentos como sopa, molhos, pimentão etc congelar o saco e colocar no refrigerador. Ajuda a manter os outros alimentos frios.
  • Para corrigir um vazamento mais frio, aplique cera de parafina derretida dentro e fora da área com vazamento.
  • Coloque uma panela de água quente sobre o fogo enquanto você come de modo que ele estará pronto para a limpeza quando você é feito.
  • Para manter o sabão limpo em seu acampamento, colocá-lo em uma meia e pendurar de uma árvore.
  • O pão de Pita embala melhor e permanece na forma melhor ao acampar do que pães regulares do tipo.
  • Traga lanches energéticos para entre as refeições.
  • Para cozinhar hambúrgueres mais uniformemente, colocar um buraco no meio do seu hambúrguer sobre o tamanho do seu dedo. Durante a grelha o buraco vai desaparecer, mas o centro será cozido o mesmo que as bordas.
  • Encher galão jarros de leite ou garrafas de refrigerante de 2 litros com água ou suco e congelar. Estes mantêm o refrigerador frio e fornecer uma bebida fria.
  • Para remover odores do seu refrigerador, limpe com água e solução de bicarbonato de sódio.
  • Use um frigorífico separado para bebidas para não abrir o refrigerador de alimentos com muita frequência.
energia eólica

Portugal produz energia eólica usando tecnologia espanhola

O primeiro parque eólico offshore na Península Ibérica já é uma realidade. A produção de energia eólica está localizado ao largo da costa de Viana do Castelo. Apenas a 60 quilómetros da fronteira com a Galiza. É o compromisso novo e firme de Portugal com as energias renováveis, uma área em que o nosso país leva uma grande vantagem.

O governo socialista de António Costa tomou este novo passo, graças à contribuição de WindPlus consórcio liderado pela US Principle Power, e também integra a EDP Português e Repsol. O projeto começa apenas quando o governo Português acaba de aprovar um pacote de medidas para impulsionar ainda mais este sector com um investimento de 800 milhões de euros e perto de 750 megawatts, de acordo com planos anunciados pelo secretário de Energia do Estado, Jorge Sanches certeza.

De acordo com a Comissão Europeia em 2015 Portugal tinha a sétima maior quota de energias renováveis na UE. O país totalizava 27% da sua produção, quando a média da UE é de 16,4%. Na verdade, Portugal obteve no passado mês de Maio passado um marco muito importante e admirável:

 

“todo o país trabalhou durante quatro dias (107 horas) exclusivamente graças às energias renováveis”

 

“A energia eólica offshore tem de estar no cabaz energético nacional. Ventos do mar são muito estáveis e com estea, o setor energético poderia ser 100% renovável “, diz Sara Pizzinato do Greenpeace. Desde Iberdrola, lembrem-se que a produção do parque  britânico Duddon Sands “já ultrapassou em 20% as estimativas mais otimistas.” É mais confiável, com muito maior capacidade de geração de energia do que a sua irmã terrestre e também “nas instalações no mar não há limitação de espaço e impacto visual e acústico é menor”, acrescentou fontes de Gamesa.

Como se isso não fosse suficiente, os impactos ambientais desta tecnologia “estão muito por baixo dos benefícios de substituir a outra energias suja”, diz Sawyer.

¿Como fazer uma boa entrevista?

A única coisa mais perturbadora do que uma entrevista de emprego é entrar na sala de espera e perceber que está num mar de candidatos. Sabe que você é um candidato estelar, mas como mostrar que é o melhor candidato numa entrevista?

O seu currículo pode tê-lo ajudado a conseguir a entrevista, mas é a sua personalidade e as suas habilidades de comunicação que irão mantê-lo lá. Na verdade, os empregadores estão a procura da história que o seu currículo não pode dizer, e cabe a você partilhá-la.

Aqui estão cinco maneiras de demonstrar na sua entrevista que você, entre o resto do grupo, é o indicado para contratar.

Seja uma Referência

Escusado será dizer, é uma posição poderosa para estar quando alguém lhe recomenda para uma empresa. Esta pessoa pensou muito de você para sugerir-lhe a um empregador. E se consegue a entrevista, o empregador tem uma alta consideração pela pessoa que o recomendo.

No entanto, não precisa de contatos para ser uma referência. Você pode-se tornar numa referência se fizer um pouco de trabalho antes da entrevista.
LinkedIn serve como ferramenta de pesquisa poderosa para encontrar outros funcionários numa empresa cuja experiência alinha com os seus interesses.

Selecione um funcionário para enviar e-mail a pedir uma entrevista informativa. Deixando a pessoa saber que iria adorar o benefício do seu conhecimento sobre como poderia destacar-se. As pessoas geralmente respondem bem a um pedido de ajuda e, se a pessoa se preocupa o suficiente para aceitar o seu pedido, ele ou ela vai absolutamente se importar o suficiente para acompanhar após a sua entrevista.

Deixe-os saber que você consegue

Fale sobre por que você quer trabalhar para essa empresa, por oposição a qualquer outra, e por que suas habilidades tornam-no no melhor ajuste para avançar os objetivos da empresa. Assim, você estará a um passo à frente.

Para fazer isso, é fundamental ter uma forte compreensão da posição e do desempenho que seria esperado de você. Isso significa não apenas ler através do anúncio de emprego com um pente fino, mas também pesquisar funcionários passados ​​e atuais no LinkedIn. Muitas vezes, vai descobrir que eles descrevem os seus trabalhos de uma forma que não é divulgada na descrição do cargo oficial e essa compreensão única pode realmente enriquecer a sua capacidade de conversar sobre o papel.

Tenha um bom discurso

Quando o entrevistador diz, “fale-se de você”, é tentador começar a descrever o trabalho, falando sobre as habilidades e atributos que sabe que o empregador está a procura. No entanto, um discurso autêntico e convincente permite uma conexão mais profunda entre você e o entrevistador.

Há três partes para garantir um discurso eficaz: a sua história, as suas habilidades e os seus objetivos. É eficaz para partilhar uma breve história de vida que é relevante para o seu percurso profissional e da empresa. Por exemplo, se você está a ser entrevistado para um lugar de engenharia, fale sobre como você desmontou o computador da família e colocá-lo de volta juntos como uma criança. Partilhe uma anedota pessoal sobre quem você é e demonstre que a oportunidade é mais do que um trabalho, é uma peça crítica do propósito da sua vida.

Em seguida, você, sem dúvida, tem algumas grandes habilidades, por isso é importante que você também pensar sobre qual é mais necessário na posição para a qual você está entrevistando uma habilidade da empresa realmente, realmente precisa. Finalmente, dado que seu objetivo é obter o emprego, é crucial o seu passo elevador demonstrar por que você quer trabalhar para esta empresa, em vez de qualquer outro.

Fale em testemunhos

Se você está a procura de um carro novo ou comprar roupas na internet, os depoimentos dos usuários e os seus comentários provavelmente ajudarão a guiá-lo no processo de tomada de decisão. O local de trabalho não é tão diferente! De fato, é incrivelmente poderoso partilhar os seus melhores atributos através da boca daqueles que os notaram.

Assim, em vez de meramente afirmar as suas grandes qualidades, cite as palavras de louvor que você já recebeu. Particularmente aquelas que vieram dos seus gerentes.

Apague Suas Dúvidas

Em algum momento da entrevista, o empregador, inevitavelmente, vai pedir-lhe para falar sobre as suas fraquezas. A maioria dos candidatos não está preparada para usar esta questão para sua vantagem – eles tomam a maneira mais fácil reivindicando uma fraqueza ambígua ou humilde (por exemplo, “eu luto com o perfeccionismo!”).

Uma abordagem melhor? Fale sobre um momento em que sua fraqueza foi exposta no local de trabalho, em seguida, compartilhar os passos que você tomou para superá-lo. Fazê-lo mostra o empregador que você reconheceu uma lacuna em suas habilidades, corrigido, e deixou no passado – e que você vai fazer o mesmo se confrontado com um desafio no futuro.

Em conclusão, você é mais do que um rosto sem nome numa sala de espera cheia de candidatos. Mas cabe a você provar o seu valor para o potencial empregador. Para realmente destacar-se, deixar de lado o seu currículo, faça a sua lição de casa, e ensaie o seu discurso.

mercadona

O supermercado Mercadona chega a Portugal

Mercadona escolheu a sua primeira localização para a sua futura rede de supermercados em Portugal. Pois, esperam ter as suas primeiras quatro lojas a operar em 2019.

O local da primeira loja consiste numa área de 9.000 metros quadrados em Vila Nova de Gaia, perto da cidade do Porto. Fontes do grupo detalham que atualmente estão a realizar as formalidades para finalizar a compra.

A cadeia criará um centro com uma área de vendas de 1.800 metros quadrados. Deste modo, no local haverá uma área para os trabalhadores, salas de treinamento e estacionamento de 180 lugares.

O supermercado será construído segundo o modelo de “loja eficiente”, que já está implementado na Espanha. Este modelo visa otimizar o tempo de compra e obter um menor impacto ambiental e de energia de até 40 por cento, respeito aos supermercados tradicionais. Isto é conseguido graças às melhorias no isolamento térmico e acústico, uma iluminação LED automatizada e otimização de materiais e espessura da parede. Além disso, integra ferramentas colaborativas e dispositivos eletrónicos, tais como tablets, com o qual se pode partilhar informação de qualquer secção da loja. Uma vez que, estas ferramentas garantem “facilitar a autogestão de cada supermercado e agiliza os processos em toda a cadeia.”

Por quê o grupo Mercadona escolheu Portugal?

Mercadona escolheu Portugal para iniciar o seu processo de internacionalização, após a consolidação do seu modelo em toda a Espanha e analisar vários países, incluindo a Itália e a França. A cadeia considera Portugal “uma estreita proximidade logística de mercado, que se insere no crescimento orgânico e natural da empresa.” Na primeira fase de expansão, vai abrir quatro lojas em 2019. Isto supõe um investimento de 25 milhões de euros e a criação de 200 postos de trabalho.

Em 2015, o volume de negócios de Mercadona foi 20,831 milhões, o maior valor de uma empresa espanhola no país. Tem 1.614 supermercados e mais de 77.000 funcionários.

busto de Cristiano Ronaldo

O busto de Cristiano Ronaldo e as polêmicas políticas do seu aeroporto

“Eu não pedi, mas eu não sou hipócrita e assumo que estou lisonjeado e me faz feliz.” Cristiano Ronaldo agradeceu assim o baptizado do aeroporto da Madeira que agora leva o seu nome.

“Eu sei que há pessoas que discordam, eles são sentado mesmo aqui, tudo bem. Nós vivemos num país democrático”, acrescentou o jogador de futebol. Este quis agradecer “a coragem” do primeiro-ministro da Madeira pela mudança do nome do aeroporto.

A mensagem de Cristiano Ronaldo, aos que se opunham também foi inserida no discurso do presidente Marcelo Rebelo de Sousa. “Coragem é necessária para esta mudança. A prática comum é dar a personalidades mortas. A escolha, caso único, foi feita a correr riscos. Escolher uma personalidade viva tem riscos. Mas sabemos que, quando o Cristiano deixa os campos Cristiano vai viver com a mesma humildade, as suas próprias raízes. Sempre foi e será assim. ”

Continue reading “O busto de Cristiano Ronaldo e as polêmicas políticas do seu aeroporto”

empresas galegas

Governo regional da Espanha investiga se municípios lusos capturam empresas galegas com ajudas irregulares

O governo regional da Espanha está a investigar se vários municípios em Portugal estão a atrair empresas galegas com auxílios irregulares. Isto foi dito na segunda-feira pelo Alfonso Rueda, que confessou a preocupação do Governo Galego. De acordo com o Rueda, o que está a analisar a administração regional da Espanha é se estes municípios cumprem as regras de concorrência que regem a região do Euro.

Se a investigação do governo espanhol concluir que estas regras não estão a ser respeitadas, poderia acabar numa queixa à Comissão Europeia. Uma medida exigida pelos socialistas galegos. “É uma coisa que nos preocupa muito, porque também são empresas de actividade consolidada, auxiliares das grandes empresas que há aqui”, acrescentou o líder do PP, referindo-se à planta Citroën em Vigo, entre outras.

O vice-presidente da Galiza admite que o abandono destas empresas “pode em breve tornar-se num grande problema” e tem “soluções, até certo ponto”. O Rueda salientou que os municípios portugueses têm uma bonificação de impostos que vai “ao máximo”. Assim como, outras circunstâncias que atraem empresas galegas e os baixos salários. Também afirmou que na Galiza a redução dos preços de terrenos industriais vai “ao mínimo permitido por lei.” O governo galego garante que os custos do trabalho em Portugal são 13 euros por pessoa por hora, em comparação com entre 17 e 20 que regista Galiza.

“O governo galego admite preocupação com a fuga dos investidores para Portugal”

Os sindicatos portugueses União Geral dos Trabalhadores (UGT) e Geral dos Trabalhadores Portugueses Confederação (CGTP) acreditam que a deslocação das empresas a território luso não é devido aos incentivos fiscais ou preço dos terrenos industriais. Mas sim as condições de trabalho mais precárias. “Hoje eles movem as empresas da Galiza a Portugal, mas amanhã será outra deslocalização”, alertou na semana passada o Arménio Carlos, secretário-geral da CGTP. Este acredita que as alegações de concorrência desleal servir “justificar o fracasso” das administrações para atrair multinacionais.

O Partido Socialista propôs denunciar Portugal a UE por oferecer terreno industrial “livre”. Isto poderia ser considerado como uma ajuda não autorizada. “O governo regional espanhol tem de estar mais preocupado e ser mais ativo do que a ser” demandou Xaquin Fernández Leiceaga. Também disse que a Galiza perdeu 2.000 empregos nos últimos cinco anos no auxiliar automóvel em comparação com 6000 ganhou Portugal.